Madeirada News

PCDF prende estelionatário que se passava por juiz

Divisão de Comunicação/DGPC


A Polícia Civil do DF, por intermédio da 16ª DP, prendeu, nessa quarta-feira (5), por força de mandado de prisão preventiva, A.V.M.T, 46 anos autor de vários estelionatos cometidos em Planaltina/DF. O homem foi preso durante uma abordagem policial em Planaltina de Goiás.

Segundo as investigações, o autor se passava por juiz e apresentava uma carteira de juiz arbitral e distintivo para intimidar as vítimas, de forma que o respeito ao cargo criasse um ambiente propício para enganá-las.

“Em um dos golpes aplicados, a vítima perdeu R$ 65 mil, ao comprar um lote oferecido pelo golpista, com uso de documentos falsos e de propriedade de uma outra pessoa”, conta o delegado-adjunto da 16ª DP, Luiz Gustavo Neiva.

De acordo com o delegado, após a divulgação da foto do estelionatário, outras vítimas poderão reconhecê-lo e deverão realizar o registro de ocorrência.

O autor, após os procedimentos legais, foi recolhido à carceragem da PCDF, onde permanece à disposição da Justiça.

A imagem pode conter: 2 pessoas


  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

PCDF prende estelionatário que se passava por juiz

A Polícia Civil do DF, por intermédio da 16ª DP, prendeu, nessa quarta-feira (5), por força de mandado de prisão preventiva, A.V.M.T, 46 anos autor de vários estelionatos cometidos em Planaltina/DF. O homem foi preso durante uma abordagem policial em Planaltina de Goiás.

Segundo as investigações, o autor se passava por juiz e apresentava uma carteira de juiz arbitral e distintivo para intimidar as vítimas, de forma que o respeito ao cargo criasse um ambiente propício para enganá-las.

“Em um dos golpes aplicados, a vítima perdeu R$ 65 mil, ao comprar um lote oferecido pelo golpista, com uso de documentos falsos e de propriedade de uma outra pessoa”, conta o delegado-adjunto da 16ª DP, Luiz Gustavo Neiva.

De acordo com o delegado, após a divulgação da foto do estelionatário, outras vítimas poderão reconhecê-lo e deverão realizar o registro de ocorrência.

O autor, após os procedimentos legais, foi recolhido à carceragem da PCDF, onde permanece à disposição da Justiça.

A imagem pode conter: 2 pessoas

Publicidade