Madeirada News

MENU
Logo
Sexta, 03 de julho de 2020
Publicidade
Publicidade

Policial

Mãe que matou filho de 6 anos arrancou o próprio olho e jogou em ralo da cela, em Goiás

Mulher de 29 anos passou por cirurgia em Goiânia, na Fundação Banco de Olhos. Na quinta-feira (14), ela enforcou o menino até à mo

6107
Publicidade
Publicidade
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

A mulher de 29 anos, que confessou ter matado o filho de 6 anos enforcado na última quinta-feira (14), em Santa Helena de Goiás, arrancou o próprio olho esquerdo enquanto estava detida no Centro de Inserção Social (CIS) de Rio Verde. Ela teria utilizado as próprias unhas e, em seguida, jogou o olho no ralo do banheiro da cela. O caso aconteceu no último sábado (16) e ela foi, inicialmente atendida na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), de Rio Verde. Em seguida, foi encaminhada à Fundação Banco de Olhos, em Goiânia, onde passou por cirurgia. Ela perdeu a visão por completo do olho afetado e foi levada de volta para o Sudoeste do Estado. Agora, aguarda vaga para internação psiquiátrica.

De acordo com o Diretor da UPA de Rio Verde, Paulo Renato Silva, a mulher chegou à unidade de Saúde com o nervo óptico exposto. “Ela teve o que chamamos de avulsão do nervo óptico. Recebeu os primeiros atendimentos em Rio Verde, mas precisou ser transferida. Na Fundação, a mulher passou por cirurgia e voltou para a UPA na noite de domingo (17). O outro olho também estava muito vermelho e nossa suspeita é de que ela tentaria arrancar também. Acreditamos ter sido com a unha porque a informação que recebemos é de que ela não tinha nenhum objeto à disposição”, completou Paulo Renato Silva.

Agora, além de aguardar uma vaga para internação psiquiátrica que deve ser disponibilizada pela Prefeitura, a mulher também deve retornar a Goiânia em sete dias. Isso porque, está previsto um novo exame na Fundação Banco de Olhos, em Goiânia, para avaliar as condições do olho direito, que apresentava vermelhidão. Em nota, a Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP), informou que a detenta estava sozinha na cela quando se feriu e que apresentou alterações psicológicas e emocionais.

O crime

Na última quinta-feira (14), a mulher de 29 anos, acionou a Polícia Civil após matar o próprio filho, um menino de 6 anos em Santa Helena de Goiás, na Região Sudoeste do Estado. Em depoimento, ela confessou o assassinato e disse que teve um ataque de fúria depois que o filho se recusou a limpar a casa, às 4h30 da manhã. Quando os policiais chegaram, ela estava no quintal da casa, colocando fogo na roupa do menino.

O garotinho, que já estava morto, apresentava diversos machucados e uma fratura no pescoço. Exames foram realizados pelo Instituto Médico Legal (IML) para confirmar a causa da morte. Delegado responsável pelo caso, Danilo Proto já havia dito, no momento da prisão, que iria averiguar a “possibilidade de ela ter algum problema psíquico ou se poderia estar sob efeito de entorpecentes. O pai do menino também foi ouvido pela Polícia Civil e até o momento não há suspeitas de envolvimento no crime. Ele teria saído de casa para trabalhar um pouco antes da agressão.

Comentários:

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Encaminhe sua mensagem, assim que possível estaremos te respondendo ;)