Madeirada News

MENU
Logo
Sexta, 27 de novembro de 2020
Publicidade
Publicidade

Policial

Freis Alex Nuno e Hoslan que trabalharam em Novo Gama são acusados de enviar fotos obscenas a jovens. PCDF apura

Os dois suspeitos foram à 19ª DP (P Norte) nessa terça-feira, mas ficaram em silêncio. Defesa foi apresentada por escrito

3552
Publicidade
Publicidade
Imagem de capa

Imagens

A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Os freis Hoslan Guedes e Alex Nuno são acusados de encaminhar fotos e mensagens obscenas a adolescentes frequentadores da Paróquia dos Evangelistas São Marcos e São Lucas, em Ceilândia. A Polícia Civil do DF (PCDF) investiga o caso e, na tarde de terça-feira (21/7), os religiosos foram ouvidos na 19ª Delegacia de Polícia (P Norte).

As denúncias feitas por jovens e seus familiares foram reveladas pelo Metrópoles, após publicações feitas em redes sociais com fotos das telas de celulares. Nas postagens, fiéis expuseram prints de supostas conversas dos freis com as vítimas. Nos diálogos, há nudes, filmes pornográficos, mensagens invasivas e assédio. A mãe de um dos jovens entrevistados pela reportagem disse que confrontou o frei e foi ignorada.

Durante o depoimento, os religiosos preferiram ficar em silêncio e apresentaram, por meio de advogados, uma defesa por escrito. Os dois, que são muito conhecidos entre os católicos, já não atuam mais na paróquia de Ceilândia. Dois representantes do Vaticano também estiveram na 19ª DP nessa terça para solicitar acesso ao material colhido pelos investigadores. O pedido foi negado.

Ao menos 10 pessoas procuraram a PCDF para denunciar casos de supostos abusos que teriam sido cometidos pelos dois freis. As investigações foram desmembradas. O caso das vítimas do sexo feminino estão na Delegacia Especial de Atendimento à Mulher II (Deam II), em Ceilândia.

Segundo a 19ª DP, a primeira fase das investigações foi concluída. Além de o processo ter sido desmembrado, os policiais afirmam que avaliam uma denúncia de supostas fake news contra os religiosos. Eles registraram ocorrência por difamação.

“Os freis apresentaram memorial escrito de defesa e foram acompanhados de advogados, nos casos mencionados. Representantes da Igreja Católica compareceram à 19ª DP para acompanhar o desdobramento dos casos, na tarde da terça-feira (21/7). Os freis foram afastados de suas funções, segundo documento protocolado pela própria defesa”, diz o comunicado da 19ª DP.

Comentários:

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Encaminhe sua mensagem, assim que possível estaremos te respondendo ;)