Madeirada News

Bombeiros do DF encontram corpo de funcionário da Saneago

Segundo o CBMDF, o corpo Jucélio Marcelino da Rocha foi localizado a cerca de 14 metros de profundidade


O Corpo de Bombeiros do Distrito Federal encontrou, às 3h45 desta quinta-feira (6), ocorpo de Jucélio Marcelino da Rocha, vítima de soterramento numa estação da Companhia de Saneamento de Goiás (Saneago), em Planaltina (GO). O homem de 35 anos passava por uma calçada da empresa quando o chão cedeu. Ele foi engolido pela cratera e soterrado.

Segundo o CBMDF, o corpo foi localizado a cerca de 14 metros de profundidade, e a instabilidade do local dificultou a operação. Os trabalhos de busca por Jucélio começaram por volta das 15h de quarta (6) e foram encerrados às 5h10 desta quinta. A Polícia Civil foi chamada para a realização de perícia e remoção do corpo. O laudo vai apontar as circunstâncias do incidente.

Trabalhadores disseram aos bombeiros que uma tubulação da empresa se rompeu, o que provocou fragilidade do solo e abriu uma cratera de vinte metros de largura e pelo menos oito metros de profundidade. Até por volta das 18h dessa quarta, os militares trabalhavam com a esperança de encontrar Jucélio com vida.


  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

Bombeiros do DF encontram corpo de funcionário da Saneago

O Corpo de Bombeiros do Distrito Federal encontrou, às 3h45 desta quinta-feira (6), ocorpo de Jucélio Marcelino da Rocha, vítima de soterramento numa estação da Companhia de Saneamento de Goiás (Saneago), em Planaltina (GO). O homem de 35 anos passava por uma calçada da empresa quando o chão cedeu. Ele foi engolido pela cratera e soterrado.

Segundo o CBMDF, o corpo foi localizado a cerca de 14 metros de profundidade, e a instabilidade do local dificultou a operação. Os trabalhos de busca por Jucélio começaram por volta das 15h de quarta (6) e foram encerrados às 5h10 desta quinta. A Polícia Civil foi chamada para a realização de perícia e remoção do corpo. O laudo vai apontar as circunstâncias do incidente.

Trabalhadores disseram aos bombeiros que uma tubulação da empresa se rompeu, o que provocou fragilidade do solo e abriu uma cratera de vinte metros de largura e pelo menos oito metros de profundidade. Até por volta das 18h dessa quarta, os militares trabalhavam com a esperança de encontrar Jucélio com vida.

Publicidade