Madeirada News

ABSURDO! Vereador de Novo Gama confessa em entrevista possíveis crimes praticados em seu gabinete

PENSE EM UM ABSURDO! EM NOVO GAMA HÁ PROCEDENTE !

O vereador do partido Democratas em Novo Gama, Medeiros, cometeu aquilo que podemos chamar no meio político de SUICIDIO ELEITORAL.

O fato aconteceu em uma entrevista ao jornalista Ranieri Gonçalves na tarde de ontem(28), quando o vereador na tentativa de se explicar por ter dito em plenário que crime de PECULATO é coisa insignificante, e que usar dinheiro público em benefício próprio é PICUINHA, ao tentar se justificar das asneiras que falou, o vereador terminou se enrolando e confessando alguns possíveis crimes que seriam cometidos por ele dentro do seu próprio gabinete.

Ao assumir na entrevista que APOSENTA várias pessoas, o decadente vereador se suicidou com sua própria língua, isso se o ministério público resolver investigar as ações do vereador dentro do seu gabinete.

 Dentre os possíveis desmandos e possíveis crimes que o EDIL confessou no vídeo, podemos citar:

Crime de improbidade administrativa, que consistente no uso das dependências e do patrimônio da Câmara Municipal para a prestação de “assistência jurídica”, captação de clientela com o propósito evidente de promoção pessoal, e trabalhos em desconformidade com a função de vereador.

Segundo as declarações do vereador, fica comprovado que, associado com seus filhos advogados, criou em seu gabinete, contido na Câmara Municipal do Novo Gama, um serviço de assistência jurídica, uma vez que a Defensoria Pública, que era irregularmente mantida pela Prefeitura Municipal, diga-se de passagem, foi fechada. Sabe-se que há anos o vereador “presta serviços” para aposentar as pessoas, junto ao INSS, o que não é encargo de vereador, cujo propósito é o de promover atendimento dos eleitores municipais, em benefício da imagem pessoal do vereador, com a inquestionável fim de captação de votos.

O vereador tem como função primordial representar os interesses da população perante o poder público, encargo bem destoante do que, segundo o vídeo, informa que tem feito o Vereador Medeiros. O Vereador tem ações típicas, ou sejam, criar, extinguir e emendar leis, da maneira que ele julgar que seja mais adequada ao interesse público.  Deve ainda o vereador fiscalizar as ações do Poder Executivo municipal – A prefeita, não sendo esta fiscalização apenas “picuinhas” de quem a faz, e sim uma obrigação do Vereador.

Por outro lado o Vereador não pode de maneira alguma emitir pareceres ou dar consultas em seu gabinete, por um, porque não é advogado, estando exercendo irregularmente a profissão, crime tipificado em lei; por dois, está utilizando-se das instalações da Câmara para este fim, bem como água, energia, material de expediente, bem como servidores públicos para um fim o qual atende interesse de poucos, e não da coletividade.

Os ilícitos penais supostamente praticados pelo Vereador, segundo sua entrevista podem ser de: Improbidade Administrativa, a qual se dá de forma sucessiva, por várias legislaturas, com desvio de agentes públicos, dinheiro e estruturas do Poder Legislativo (Câmara Municipal) para o funcionamento de um serviço público municipal de assistência jurídica; captação de clientela para seus filhos; exercício irregular da profissão; dentre outros que poderão ser apurados de forma mais minuciosa pelo Ministério Público.

Valendo aqui salientar que já existe uma denúncia feita pela OAB (ordem dos advogados do brasil, seção Novo Gama, junto ao ministério público contra o Vereador Medeiros pelas práticas desses possíveis crimes.

VEJA UMA PARTE DA ENTREVISTA !

 

  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

ABSURDO! Vereador de Novo Gama confessa em entrevista possíveis crimes praticados em seu...

O vereador do partido Democratas em Novo Gama, Medeiros, cometeu aquilo que podemos chamar no meio político de SUICIDIO ELEITORAL.

O fato aconteceu em uma entrevista ao jornalista Ranieri Gonçalves na tarde de ontem(28), quando o vereador na tentativa de se explicar por ter dito em plenário que crime de PECULATO é coisa insignificante, e que usar dinheiro público em benefício próprio é PICUINHA, ao tentar se justificar das asneiras que falou, o vereador terminou se enrolando e confessando alguns possíveis crimes que seriam cometidos por ele dentro do seu próprio gabinete.

Ao assumir na entrevista que APOSENTA várias pessoas, o decadente vereador se suicidou com sua própria língua, isso se o ministério público resolver investigar as ações do vereador dentro do seu gabinete.

 Dentre os possíveis desmandos e possíveis crimes que o EDIL confessou no vídeo, podemos citar:

Crime de improbidade administrativa, que consistente no uso das dependências e do patrimônio da Câmara Municipal para a prestação de “assistência jurídica”, captação de clientela com o propósito evidente de promoção pessoal, e trabalhos em desconformidade com a função de vereador.

Segundo as declarações do vereador, fica comprovado que, associado com seus filhos advogados, criou em seu gabinete, contido na Câmara Municipal do Novo Gama, um serviço de assistência jurídica, uma vez que a Defensoria Pública, que era irregularmente mantida pela Prefeitura Municipal, diga-se de passagem, foi fechada. Sabe-se que há anos o vereador “presta serviços” para aposentar as pessoas, junto ao INSS, o que não é encargo de vereador, cujo propósito é o de promover atendimento dos eleitores municipais, em benefício da imagem pessoal do vereador, com a inquestionável fim de captação de votos.

O vereador tem como função primordial representar os interesses da população perante o poder público, encargo bem destoante do que, segundo o vídeo, informa que tem feito o Vereador Medeiros. O Vereador tem ações típicas, ou sejam, criar, extinguir e emendar leis, da maneira que ele julgar que seja mais adequada ao interesse público.  Deve ainda o vereador fiscalizar as ações do Poder Executivo municipal – A prefeita, não sendo esta fiscalização apenas “picuinhas” de quem a faz, e sim uma obrigação do Vereador.

Por outro lado o Vereador não pode de maneira alguma emitir pareceres ou dar consultas em seu gabinete, por um, porque não é advogado, estando exercendo irregularmente a profissão, crime tipificado em lei; por dois, está utilizando-se das instalações da Câmara para este fim, bem como água, energia, material de expediente, bem como servidores públicos para um fim o qual atende interesse de poucos, e não da coletividade.

Os ilícitos penais supostamente praticados pelo Vereador, segundo sua entrevista podem ser de: Improbidade Administrativa, a qual se dá de forma sucessiva, por várias legislaturas, com desvio de agentes públicos, dinheiro e estruturas do Poder Legislativo (Câmara Municipal) para o funcionamento de um serviço público municipal de assistência jurídica; captação de clientela para seus filhos; exercício irregular da profissão; dentre outros que poderão ser apurados de forma mais minuciosa pelo Ministério Público.

Valendo aqui salientar que já existe uma denúncia feita pela OAB (ordem dos advogados do brasil, seção Novo Gama, junto ao ministério público contra o Vereador Medeiros pelas práticas desses possíveis crimes.

VEJA UMA PARTE DA ENTREVISTA !

 

Publicidade